O Grito do Peixe

Ao longo de dois meses e meio de residência artística em Olhão, a convite da iniciativa “Faro Capital Nacional da Cultura (2005)”, Clara Andermatt cria uma nova peça sobre a cidade, os seus contrastes, as suas comunidades piscatórias, os seus usos e costumes.

Em palco, cinco músicos, cinco intérpretes e dez alunos (entre os 12 e os 16 anos, oriundos da Escola EB 2-3 João da Rosa), dão corpo e voz ao espetáculo, convidando a discorrer ruas e narrativas inscritas em Olhão.

Uma peça desenvolvida em cumplicidade com o músico e compositor João Lucas, e que conta com Rui Horta no espaço cénico e luzes.

 

“Passaram dois meses e meio intensos, de trabalho e de prazer. Percorremos a cidade de Olhão, mergulhámos na sua cor, no seu sabor doce e amargo. Ouvimos a sua história, aprendemos a reconhecê-la no desenho das fachadas, nas mãos marcadas dos velhos pescadores, no ritmo das marés, nas fábricas abandonadas; na miríade de sinais que identificam este território recolhemos a matéria que desejámos transformar em vocabulário e com ele falar da beleza e da estranheza do mundo, do grito que não conseguimos ouvir, quer em nós quer nos outros. Aqui encontramos as crianças que nos disseram muito do que agora dizemos. De início eram presenças desarvoradas, como é próprio das crianças. Ao correr dos dias foram entrando na magia deste tempo, criando disciplina e descobrindo uma coisa nova, a ela se entregando com uma confiança comovente. Essa entrega permitiu vê-los crescer, conquistar o entendimento dos gestos e dos sons, a cumplicidade com os bailarinos, com os músicos, com todos os artistas e colaboradores, todos eles fundamentais num processo de criação partilhado e vivido.”

Clara Andermatt (2005)

categorias

Coreografia e direção: Clara Andermatt | Composição musical: João Lucas | Espaço cénico / desenho de luz: Rui Horta | Figurinos: Aleksandar Protic | Bailarinos / colaboradores: Joana Bergano, Pedro Ramos, Romeu Runa, Samuel Louwyck, Victor Hugo Pontes | Músicos: Anthony Wheeldon (guitarra), Beto Garcia (bateria), Eduardo Raon (guitarra e harpa), João Pestana (baixo), Marco Santos (bateria) | Alunos da Escola EB 2-3 João da Rosa, de Olhão: Ana Filipa Meyners, André Tomás, Dora Sousa, Iúri Feliciano, Janina Santos, Joana Belmiro, João Efigénia, Miguel Pereira, Oleksandra Balytska, Pedro Correia | Assistente de ensaios: Vera Santos | Direção técnica: Carlos Ramos | Técnicos de som: Ângelo Lourenço, Sérgio Milhano, Cândido Esteves | Maquinista: David Mendes | Produção: ACCCA Companhia Clara Andermatt | Produção executiva: Narcisa Costa | Assistência de produção: Maria João Garcia | Coprodução: "Faro - Capital Nacional da Cultura (2005)" | Parcerias: Município de Olhão da Restauração, Escola EB 2-3 João da Rosa, de Olhão | Apoios: Música Nova – Sociedade Filarmónica União Olhanense, O Espaço do Tempo (Montemor-o-Novo), Sinal 26 – Lisboa, Clube Desportivo “Os Olhanenses”, Centro Cultural de Belém | Agradecimentos: Amélia Bentes, Companhia Instável, Esperança Afonso, Henrique Figueiredo, Jean Paul Bucchieri, João Garcia Miguel, José João Santos, Miguel Moreira, Nuno Leão e a todos os pais dos alunos da escola EB 2-3 João da Rosa, que participam neste projeto.

Fotografias de Jorge Gonçalves

Próxima criação

Levanta os Braços como Antenas para o Céu

< anterior