Páris e Helena

“Páris e Helena” é a terceira das óperas do compositor alemão Christoph Willibald Gluck e do iluminista italiano Ranieri de Calzabigi, autor do libretto. Ambos reformistas, tentaram cortar com os austeros contornos do género trágico procurando novas formas operáticas. Em “Páris e Helena”, o compositor criou uma obra de grande suavidade sensual, cujo impacto ecoou durante muito tempo na história da música.

Esta criação, que apresenta pela primeira vez em Portugal a versão encenada desta obra lírica, resulta da parceria artística entre o Estúdio de Ópera da Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), a Companhia Clara Andermatt e O Espaço do Tempo.
Clara Andermatt e Rui Horta, ambos com percursos pautados pela íntima relação com o universo da música, juntam-se aos alunos, ex-alunos e professores da ESML para criar um projeto onde a música, espaço e movimento se fundem num ambiente de intensa emotividade, onde Deuses e Homens conspiram em nome do amor.

Gluck dedicou esta ópera em italiano a um português residente na época em Viena, D. João Duque de Lafões, que viria mais tarde a fundar a Academia das Ciências de Lisboa.

 

Ato I – Praia perto da cidade de Esparta

Ato II – Uma sala no palácio real de Esparta

Ato III- Palácio real em Esparta

Ato IV – Aposentos reais

Ato V – Jardim do palácio

categorias

composição: Christoph Willibald Gluck | Libretto: Ranieri de’Calzabig | encenação: Clara Andermatt | direção artística do estúdio de ópera da ESML, edição e preparação musical: Nicholas McNair | solistas: Carmen Matos, Marina Pacheco, Sara Carolina Marques, Sónia Alcobaça | direção musical: Clara Alcobia Coelho | coro do estúdio de ópera da ESML (Resp. Clara Alcobia Coelho): sopranos - Teresa Duarte, Rita Marques, Ana Sofia Ventura, Marta Garcia; altos - Raquel  Fernandes, Cláudia Nunes, Marta Cepêda, Laura Lopes; tenores -  Avelino Abreu, Pedro Matos, Rui Aleixo, Pedro Cachado; baixos - Eduardo Martins, Ruben Rodeia, Gustavo Lopes | orquestra de música antiga da ESML (Resp. Pedro Castro): violino - Stephen Bull, Miguel Vasconcelos; violeta - Catarina Silva; violoncelo - Raquel Merrelho; contrabaixo - Cristiana  Sousa; cravo - Catarina Melo; oboé - Salomé Alves, João Balegas; flauta - Alexandrina Faria, Dina Hernandez; trompa - Danny Cruz, Catarina Diniz; fagote - Paulo Sousa; percussão - João Luis Lopes | cenografia e desenho de luz: Rui Horta | figurinos: Aleksandar Protic | assistência de encenação: Madalena Brak-Lamy | direção técnica: Luís Bombico | produção executiva: ACCCA Companhia Clara Andermatt e O Espaço do Tempo | direção de produção (ACCCA): Alexandra Sabino | operação de legendagem: Nuno da Rocha | tour manager: Ana Carina Paulino | coprodução: Escola Superior de Música de Lisboa, ACCCA Companhia Clara Andermatt, O Espaço do Tempo e São Luiz Teatro Municipal | Agradecimentos: Stephen Bull, Movimento de Expressão Fotográfica, José Cedoura, Jonas Runa, Festival Cistermúsica, Theatro Circo de Braga

Fotografias de IPL/ Vanessa de Sousa

Próxima criação

Dez Mil Seres

< anterior