Cemitério dos Prazeres

“Cemitério dos Prazeres”, estreada em 1996 na Fundação Calouste Gulbenkian, é a primeira de quatro peças de Clara Andermatt para o Ballet Gulbenkian.

Uma obra para nove intérpretes, pautada por metáforas que dão corpo a pulsões inconscientes, fortes, físicas e emocionais.

 

“Cemitério dos Prazeres” fala sobre os prazeres como procura de bem-estar e felicidade, mas que por medo e fragilidades nossas são muitas vezes enterrados e castrados. Finalmente, é possível reencontrar, numa frequência mais alta, uma certa paz e pureza que não negue os prazeres.”

Clara Andermatt (1996)

categorias

Coreografia: Clara Andermatt | Banda sonora e composição musical: João Lucas | Figurinos: José António Tenente | Luzes: Rui Marcelino | Assistente da coreógrafa: Amélia Bentes | Intérpretes (na estreia): Ângela Clemente, Paula Fernandes, Cláudia Nóvoa, Adriana Queiróz, Sandra Rosado, Luís Damas, César Augusto Moniz, Carlos Prado e Filipe Valla | Produção: Ballet Gulbenkian

Fotografias de Ana Baião, José Fabião

Próxima criação

Anomalias Magnéticas

< anterior