Só um Bocadinho

“Só um Bocadinho” é a peça desenvolvida por Clara Andermatt pelo 1º Prémio no III Certamen Coreográfico de Madrid, com a peça “En-Fim” (1989).

Uma obra composta por situações tragicómicas, retratadas de forma crua e emotiva, onde o estreito fio da navalha remete para o frágil equilíbrio entre dois perigos. “Só um Bocadinho” revela o caminho estético que Andermatt procura aprofundar nas suas obras posteriores – as emoções, o sexo, o ridículo da sociabilidade, a manipulação, as relações humanas – e a forma crua, grotesca, acutilante e humorada com que explora estes temas.

 

“Bem estreito é o fio da navalha! Entre dois perigos me equilibro: de um lado ameaça-me a ávida boca do excesso, do outro a amargura da avareza que de si mesma se alimenta.” 

Stig Dagerman

 

“Só um Bocadinho

É um jogo de surpresas sob o signo do efémero
A surpresa do encontro.
A surpresa das atitudes.
A surpresa dos sentimentos.
A surpresa dos fins.” 

Clara Andermatt (1990)

 

___

Em 1997, a propósito da segunda edição do festival “Dancem!”, do Teatro Nacional de São João, o coreógrafo Paulo Ribeiro desafia uma companhia portuguesa (ACCCA), uma inglesa (DV8 Physical Theatre) e uma francesa (Compagnie Fattoumi-Lamoureux), a escolher e remontar as suas primeiras obras. Clara Andermatt leva ao palco “Só um Bocadinho” (1990) e “Anomalias Magnéticas” (1995).

categorias

(1990)

Coreografia: Clara Andermatt | Bailarinos: Paulo Ribeiro, José Jiménez, Arturo Villalba e Clara Andermatt | Música: Handel, René Aubry, Malher | Montagem musical: Luís Cília | Luzes: Keith Yetton | Técnico de luz: Paulo Graça | Figurinos: Carlota Lagido | Fotografias: Jorge Gonçalves

(1997)

Coreografia: Clara Andermatt | Bailarinos: José Silva, Felix Lozano, Miltércio Santos e Clara Andermatt | Música: Handel, René Aubry, Malher | Montagem musical: Luís Cília | Luzes: Keith Yetton e Carlos Gonçalves | Figurinos: Carlota Lagido

Fotografias de ACCCA

Próxima criação

En-Fim

< anterior